12 de mar de 2011

De quê?

Estou cansado. Cansado de estar sozinho, cansado de tomar essa [cerveja sozinho,
no cú da madrugada.
Cansado do que não fiz e do que tentei fazer (?) mas foi em vão
do que não tive coragem de não tentar

Tenho uma vontade! ah
louca
de nem sei-o-quê
pra sair correndo
ou fugir ventando;
esperar o sol nascer! e tirar fotos da manhã
Sentir eternamente a brisa fria, o gemido seco de orvalho
da manhã, e tirar fotos.

Mas sozinho, sem vontade de mim mesmo
com o desejo de amanhã e a vida de ontem
oiço os aviões passando
as confissões da madrugada
e me confesso, eu mesmo
que sou eu mesmo madrugada
que se confessa para si mesma

e não há um puto de um transeunte na rua